segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Ranking e Cartografia do IDH para as capitais brasileiras


Luiz Henrique Almeida Gusmão
* Geógrafo e Licenciado pela Universidade Federal do Pará (UFPA)
* Editor chefe, Proprietário e Cartógrafo - Blog Geografia e Cartografia Digital
* Presta consultoria em Cartografia e Geoprocessamento para Acadêmicos, Pesquisadores e Empresas
* Foi Bolsista CNPq - DTI (Desenvolvimento Tecnológico Industrial) no Laboratório de Sensoriamento Remoto na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Amazônia Oriental)
* Contato: henrique.ufpa@hotmail.com
*Mapas em Geral, Cartogramas, Cursos, Projetos de Geoprocessamento, 
Palestras e Consultoria em Geotecnologia:  091 (98306-5306) - WhatsApp



1. Ranking das capitais brasileiras no Índice de Desenvolvimento Humano - 2010


O índice de desenvolvimento humano é uma forma resumida do progresso a longo prazo em três dimensões básicas do desenvolvimento humano: renda, educação e saúde (PNUD, 2017). Esse índice é um meio de mensurar e comparar as condições as condiçoes de vida de um país, estado, regiões metropolitanas e municípios. O IDH reúne três dos requisitos indispensáveis para a expansão da liberdade das pessoas: a oportunidade de se levar uma vida longa (Saúde); o acesso ao conhecimento (Educação) e a capacidade de desfrutar de um padrão de vida digno (Renda).

Com base nos dados fornecidos pelo Programa das Nações Unidas (PNUD) http://atlasbrasil.org.br/2013/ para os municípios brasileiros, foram realizadas análises sobre o IDH de todas as capitais brasileiras para o ano de 2010.

No ranking dos 5.565 municípios brasileiros, as capitais estaduais mais bem posicionadas estão localizadas principalmente nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, enquanto aquelas das regiões Norte e Nordeste tiveram um desempenho inferior, com exceção de Palmas/TO (Mapa 01)


Mapa 01. Ranking das capitais brasileiras pelo índice de desenvolvimento humano (IDH) - 2010
Elaborador: Luiz Henrique Almeida Gusmão / Fonte: PNUD (2010)
*É expressamente proibido o uso comercial, publicação em qualquer revista e compartilhamento em matérias sem a devida autorização do autor.

Segundo o mapa, a capital brasileira mais bem posicionada é Florianópolis/SC na 3° colocação, seguida por Vitória/ES (4°), Brasília/DF (9°), Curitiba/PR (10°), Belo Horizonte/MG (20°), São Paulo/SP (28°), Porto Alegre/RS (28°), Goiânia/GO e Rio de Janeiro/RJ (45°), ou seja, entre as capitais estaduais, essas tiveram o melhor desempenho nas áreas de educação, saúde e renda, considerados pelo PNUD. 

Ainda de acordo com o mapa, entre aquelas que obtiveram um desempenho mais baixo, destacam-se: Macéio/AL (1.266°), Rio Branco/AC (1.107°), Macapá/AP (940°), Porto Velho/RO (876°) e Manaus/AM (850°), localizadas principalmente na Região Norte, com exceção de Macéio que se localiza na Região Nordeste.

Se avaliarmos o IDH das capitais na costa brasileira, percebemos que os índices de desenvolvimento humano são menores de Macapá/AP até Salvador/BA, e tornam-se maiores a partir de Vitória/ES até Porto Alegre/RS, quase no limite com o Uruguai. 

Em uma avaliação regional, a capital com o melhor IDH na região Sul é Florianópolis/SC (3°); na região Sudeste é Vitória/ES (4°); no Centro-Oeste é Brasília/DF (9°); no Nordeste é Recife/PE (210°) e no Norte é Palmas/TO (76°). Quando observamos aquelas com o menor desempenho, Porto Alegre/RS aparece em 28° na região Sul, o Rio de Janeiro/RJ em 45° na região Sudeste, Campo Grande/MS em 100°, Maceió em 1.266° na região Nordeste e Rio Branco/AC em 1.107° na região Norte.


Na classificação do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), a maioria das capitais estaduais está classificada em "Alto Desenvolvimento Humano", com exceção de 7 capitais (Figura 1), onde os índices ultrapassaram 0,800 e portanto, enquadram-se em "Muito Alto Desenvolvimento Humano".


Figura 1. Ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das capitais brasileiras em 2010
Elaborador: Luiz Henrique Almeida Gusmão (2017)
Fonte: PNUD (2010)

Se avaliarmos com base na média do IDH das capitais brasileiras que é de 0,777, percebemos que além das capitais do Sudeste, Sul e Centro-Oeste do país, somente Palmas, Recife e Aracaju estão acima desse índice (Figura 3). 


Figura 3. Índice de Desenvolvimento Humano nas capitais estaduais brasileiras (2010)
Elaborador: Luiz Henrique Almeida Gusmão
Fonte: PNUD (2010)



2. CONCLUSÕES

As capitais localizadas na região Sudeste, Sul e Centro-Oeste possuem os melhores índices de desenvolvimento humano do país, em contraposição a maioria das capitais da região Norte e Nordeste, o que reforça a forte desigualdade social existente entre as mesmas. Diante disso, é necessário que os governos agilizem medidas para melhorar a qualidade de vida da população, ao ofertar e melhorar o acesso a saúde, educação e trabalho, o que consequentemente deve repercutir em uma vida mais digna e menos limitada da população.



3. REFERÊNCIAS.


PNUD. Atlas do Desenvolvimento Humano, 2010. Disponível em http://atlasbrasil.org.br/2013/. Acesso em 01/10/2017.