quarta-feira, 15 de março de 2017

As 10 maiores Baixadas/Favelas de Belém



Luiz Henrique Almeida Gusmão
*Geógrafo e Licenciado pela Universidade Federal do Pará (UFPA)
*Proprietário do Blog Geografia e Cartografia Digital de Belém
*Colaborador em Geoprocessamento e Cartografia no Laboratório de Sensoriamento Remoto na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL)
* Instrutor dos softwares de Cartografia: ArcGis, Qgis, Philcarto, Phildigit e Google Earth Pro.
*Contatos: henrique.ufpa@hotmail.com 
Cursos, Mapas, Projetos, Cartogramas e Consultoria em Geotecnologias - (091) 98306-5306 (Whatsapp)




1. FAVELAS/BAIXADAS/AGLOMERADOS SUBNORMAIS DE BELÉM (Belém's Slums)

As favelas, denominadas em Belém de baixadas e reconhecidas pelo IBGE como aglomerados subnormais, são entendidas como um conjunto de unidades habitacionais carentes em sua maioria dos serviços públicos essenciais como abastecimento de água por rede geral de distribuição, coleta de lixo domiciliar, rede de coleta de esgoto e precarização no fornecimento de energia elétrica, ocupando ou tendo ocupado, até período recente, terreno de propriedade alheia (pública ou particular) e estando dispostas, em geral de forma desordenada e densa (IBGE, grifos nossos).

Segundo o IBGE (2010), nos aglomerados subnormais - "baixadas", predomina uma urbanização fora do padrão vigente, refletido em ruas estreitas e de alinhamento irregular, com lotes e formas desiguais e construções não regularizados por órgãos públicos. Em Belém, esses aglomerados subnormais ou "baixadas" ocupam uma área significativa da cidade, onde segundo o IBGE (2010), moram 52,4% da população.

O nosso objetivo é destacar e mapear os maiores aglomerados subnormais (Baixadas) de Belém como forma de chamar a atenção do poder público para maior atuação em áreas essenciais como saúde, educação, segurança pública, lazer, entre outros, pois esses territórios abrigam na maioria das vezes, uma população carente de serviços e equipamentos urbanos. É necessário que haja avanço das políticas públicas destinadas as baixadas para poder melhorar a qualidade de vida dessa população, que sofre periodicamente com os alagamentos, a insegurança nas ruas, a carência de grandes e bons espaços de lazer, entre outros. Acima de tudo, os moradores desses lugares são pessoas trabalhadoras e honestas, que estão dispostas a contribuir para uma sociedade mais pacífica e melhor.



2. AS 10 MAIORES FAVELAS / BAIXADAS DE BELÉM (The ten biggest slums of Belém)

10° - Baixada da Cremação 

A décima (10°) maior área de baixada de Belém fica no bairro da cremação, sul da cidade, onde residem 17.248 pessoas, segundo dados do IBGE (2010).


Figura 1. Paisagem da baixada/favela da Cremação



9° Baixada da Cabanagem II 

A nona mais populosa área de baixada de Belém fica no bairro de mesmo nome, nordeste da cidade, onde é residência de 19.069 pessoas (IBGE, 2010). No mesmo bairro também há outra área de baixada classificada pelo IBGE como Cabanagem I.



Figura 2. Paisagem da baixada/favela da Cabanagem II

8° Baixada da Bacia do Tucunduba-Guamá 

A oitava mais populosa área de baixada fica na microbacia hidrográfica do Tucunduba, sul da cidade, que compreende parte do bairro do Guamá e da Terra Firme, onde moram 21.656 pessoas (IBGE, 2010). 


Figura 3. Paisagem da baixada/favela do Tucunduba-Guamá


7° Baixada do Una-Barreiro 

A sétima maior área de baixada de Belém compreende parte da microbacia hidrográfica do Una, oeste da cidade, abrangendo parte dos bairros do Telégrafo e toda a extensão do bairro do Barreiro, onde vivem 26.003 pessoas (IBGE, 2010).

Figura 4. Paisagem da baixada/favela do Una-Barreiro

6° Baixada do Guamá

A sexta mais populosa baixada de Belém fica no bairro do Guamá, sul da cidade, ao longo da Avenida Bernardo Sayão, onde reside 29.069 pessoas (IBGE, 2010).


Figura 5. Paisagem da baixada/favela do Guamá


5° Baixada do Una-Telégrafo

A quinta maior área de baixada em Belém cobre uma parte significativa do bairro do Telégrafo, no oeste da cidade. Essa baixada espraia-se ao longo do Canal do Galo e da Av. Arthur Bernardes, onde residem 30.094 pessoas (IBGE, 2010).

Figura 6. Paisagem da baixada/favela do Una-Telégrafo


4° Baixada do Tucunduba-Terra Firme


A quarta maior baixada de Belém fica novamente na microbacia hidrográfica do Tucunduba, sul da cidade, abrangendo o bairro da Terra Firme, onde vivem 35.111 pessoas (IBGE, 2010).


Figura 7. Paisagem da baixada/favela do Tucunduba-Terra Firme


3° Baixadas da Condor

A terceira mais populosa baixada, cobre quase todo o bairro do Condor, estando localizado no sul da cidade. Nesta baixada vivem 38.873 pessoas (IBGE, 2010).


Figura 8. Paisagem da baixada/favela da Condor

2° Baixada Assentamento Sideral

A segunda mais populosa baixada da cidade fica no norte da cidade, abrangendo parte do bairro do Parque Verde, onde vivem 39.706 pessoas (IBGE, 2010).


 Figura 9. Paisagem da baixada/favela do Sideral


1° Baixadas da Estrada Nova-Jurunas

A mais populosa baixada de Belém e a 5° maior do Brasil (IBGE, 2010) fica no sul da cidade, cobrindo parte considerável do bairro do Jurunas, muito próximo ao Portal da Amazônia. Esse território se estende ao longo da Av. Bernardo Sayão, no início das ruas: Mundurucus, Pariquis e Timbiras. Na maior baixada de Belém vivem 53.129 pessoas (IBGE, 2010).

 Figura 10. Paisagem da baixada/favela da Estrada Nova-Jurunas



3. MAPA E ANÁLISE CARTOGRÁFICA DAS MAIORES BAIXADAS/ FAVELAS / AGLOMERADOS SUBNORMAIS DE BELÉM (Map and spatial analysis of the biggest Belém's slums)

Conforme os dados fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi elaborado um mapa temático com o método: círculo proporcional, ressaltando as 10 maiores e mais populosas baixadas (favelas) de Belém (Mapa 1) no software ArcGis pelo Geógrafo Luiz Henrique Almeida Gusmão.



Mapa 01. As 10 Baixadas mais populosas de Belém
Fonte: Luiz Henrique Almeida Gusmão com os dados do IBGE (2010)

Segundo o mapa, as baixadas (favelas) mais populosas de Belém se concentram no sul, muito próximo do centro da cidade, principalmente nas margens do Rio Guamá e ao longo da Av. Bernardo Sayão, iniciando no bairro do Jurunas, passando pelo Condor, Cremação, Guamá, até chegar no bairro da Terra Firme. A característica predominante dessas áreas é a presença de moradias humildes, normalmente feitas com materiais frágeis e de fácil deterioração pela ação da chuva e do Sol, localizada as margens de igarapés ou córregos que servem como despejo de resíduos domésticos (carência de saneamento básico). São lugares com ruas estreitas, com carência de saneamento básico, coleta de lixo e água encanada, onde vive uma população predominante com baixo poder aquisitivo, marginalizada das grandes benfeitorias da Prefeitura.

No sul de Belém há 6 grandes áreas de baixada, destacando-se a Estrada Nova-Jurunas como a maior e mais populosa com 53.000 habitantes, seguida pela do Condor com cerca 38.000 habitantes e o Tucunduba-Terra Firme com 35.000 pessoas. Na porção oeste da cidade, duas grandes baixadas se destacam: Una-Telégrafo e Una-Barreiro, que cobrem uma parte significativa do bairro do Telégrafo e a totalidade do bairro do Barreiro, margeando o Canal do Galo e do São Joaquim.

Na zona norte, destacam-se a baixada do Sideral no bairro do Parque Verde, próxima a Av. Augusto Montenegro, e a baixada da Cabanagem no bairro do mesmo nome. Em Belém, a maioria das baixadas/favelas estão em um terreno plano altamente susceptível a alagamento, principalmente na época das chuvas, com carência de infraestrutura e altas taxas de violência. 



4. CONSIDERAÇÕES FINAIS


As baixadas são áreas desvalorizadas da cidade, mas de grande interesse das construtoras e da Prefeitura de Belém, por estarem situadas a poucos quilômetros do centro da cidade (1-5 km). Esses lugares surgiram em sua grande maioria na década de 70 e 80, principalmente após a chegada e apropriação do espaço por pessoas oriundas do interior do Estado do Pará e de outros estados brasileiros, assim como por famílias empobrecidas que já moravam na cidade. Esses lugares sofrem por inundações periódicas pela combinação de terreno baixo (cota de 6 m acima do nível do mar), má administração pública ao longo de décadas, poucos programas de sensibilização ambiental por parte da Prefeitura e acúmulo de lixo regular. As grandes baixadas se configuram como territórios de resistência, formadas por pessoas trabalhadoras, em grande parte, por autônomos, ambulantes e de baixa qualificação profissional. As 10 maiores baixadas de Belém se situam principalmente no sul da cidade, ao longo do rio Guamá.



5. REFERÊNCIAS

IBGE. Aglomerados Subnormais, 2010. Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/imprensa/ppts/00000006923512112011355415675088.pdf.

IBGE. Aglomerados Subnormais - Informações Territoriais, 2010. Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/imprensa/ppts/00000015164811202013480105748802.pdf


IBGE. Censo Demográfico - Aglomerados Subnormais, 2010. Disponível em http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/552/cd_2010_agsn_if.pdf