sábado, 2 de novembro de 2013

Belém/PA - Espacialização dos Acidentes de Trânsito com o software Philcarto

Luiz Henrique Almeida Gusmão
* Geógrafo e Licenciado pela Universidade Federal do Pará (UFPA)
* Editor chefe, proprietário e Cartógrafo - Blog Geografia e Cartografia Digital de Belém
* Bolsista CNPq - DTI (Desenvolvimento Tecnológico Industrial) no Laboratório de Sensoriamento Remoto na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Amazônia Oriental)
* Instrutor dos softwares de Cartografia e Geoprocessamento: ArcGis, Philcarto, Phildigit, Google Earth, QGIS e Adobe Illustrator aplicado a Cartografia Temática
* Contatos: henrique.ufpa@hotmail.com ou luizhenrique.ufpa@yahoo.com
*Mapas, Cartogramas, Cursos, Palestras e Consultoria em Geotecnologia:  091 (98306-5306) - WhatsApp



1. INTRODUÇÃO


O progressivo agravamento da violência no tráfego das vias públicas levou as Nações Unidas a proclamar a Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2011/2020, procurando estabilizar e posteriormente, reduzir as cifras de vítimas em todo o mundo. Em 2009, aconteceram perto de 1,3 milhão de acidentes de trânsito em 178 países. Estima-se que ocorrerá 1,9 milhão de mortes no trânsito em 2020 e 2,4 milhões em 2030 (OMS, 2009). Entre 20 a 50 milhões de pessoas sobrevivem com traumatismos e feridas resultantes de acidentes de trânsito, sendo responsável pela principal causa de morte na faixa etária de 15-29 anos de idade; a segunda entre 5-19 anos e a terceira entre 30-44 anos (OMS, 2009). 
Nesse sentido, esta postagem tem o propósito de espacializar os acidentes de trânsito no município de Belém em 2007-2009, para podermos compreender quais bairros estão mais vulneráveis aos acidentes, os que mais concentram, as vias mais frequentes e os principais motivos desses acidentes.

Palavras-chave: Acidentes de trânsito. Belém. Bairros. Espacialização. Philcarto.


2. MATERIAIS E MÉTODOS

A metodologia utilizada será a análise tabelas referentes aos acidentes de trânsito em Belém com base no documento: Mapa da violência 2012 - Acidentes de Trânsito e do Departamento de Trânsito do Pará (DETRAN-PA); a produção de mapas temáticos com o software Philcarto, como os de vulnerabilidade de acidentes de trânsito 2007-2009 pelo método isoplético e o de variação do comportamento dos acidentes de trânsito 2007-2009 pelo método corocromático, com base nos dados disponíveis pela Secretaria Estadual de Segurança Pública do Estado do Pará e do Departamento de Trânsito do Pará (DETRAN-PA).


3. DESENVOLVIMENTO
3.1 Frota de veículos em Belém 2007-2009

Em 2007, a frota de veículos de Belém era de 212.401 veículos, passando para 235.161 em 2008 e em 2009, atingindo 258.220 veículos, ou seja, a frota da cidade entre 2007 a 2009 cresceu 17,7%. (DETRAN-PA, 2009). Esse crescimento é percebido nas vias públicas através da sensação de maior lentidão no trânsito, do aumento da poluição sonora e consequentemente da rotina dos acidentes de trânsito. Um dos motivos que estimularam a compra de automóveis pelos brasileiros foi a alíquota baixa do imposto sobre produtos industrializados (IPI) para carros novos, concedido pelo Governo Federal, assim como a facilidade  de crédito na compra de motos. 

Figura 1. Frota do tipo de veículos no município de Belém no período de 2007 a 2009.

Fonte: DTI/UCP/DETRAN-PA

Entre os veículos, a frota de Belém em 2009 é constituída principalmente por automóveis (61,8%), motocicletas (17,3%) e caminhonetes (6,4%). 


3.2 Acidentes de trânsito, feridos e mortos em Belém 2007-2009.

Figura 2. Acidentes, feridos e mortos no município de Belém no período de 2007 a 2009.

Fonte: Sistema Integrado de Segurança Pública - SISP PA

No período analisado, o número de acidentes em Belém aumentou em (7,2%), o de feridos em (0,8%), enquanto o número de mortos teve uma redução de (31,4%).

Figura 3. Veículos envolvidos em acidentes de trânsito no município de Belém durante o período de 2007 a 2009.

Fonte: Sistema Integrado de Segurança Pública - SISP PA

Os condutores de automóveis, motocicletas e de ônibus foram os principais envolvidos em acidentes de trânsito em 2009, por estarem em maior número. Houve uma redução de acidentes com bicicletas, por uma expansão de ciclovias em algumas ruas da cidade, em contrapartida, as vans expandiram sua participação, devido a demanda acentuada de passageiros de bairros com baixa oferta de ônibus ou de difícil acesso.

3.3 Espacialização dos acidentes de trânsito nos bairros 2007-2009

Figura 4. Acidentes de trânsito nos 20 bairros onde ocorreram mais acidentes no município de Belém em 2007, 2008 e 2009.

Fonte: Sistema Integrado de Segurança Pública - SISP PA 2007, 2008 e 2009.

Em 2007, o maior número de acidentes de trânsito ocorreu no bairro do Marco, Umarizal, Marambaia, São Brás e Pedreira e Nazaré, responsáveis por mais da metade dos acidentes, cerca de 52,1%.

Em 2008, o Marco permaneceu como o principal bairro com acidentes de trânsito, seguido do Umarizal, Pedreira, São Brás, Marambaia e Campina, responsáveis por 53,2% dos acidentes.

Em 2009, o bairro do Marco além de permanecer como o principal local dos acidentes de trânsito da cidade, teve um crescimento de 18,7% nos acidentes em relação a 2007, seguido por Marambaia, Umarizal, Pedreira, São Brás e Campina, responsáveis por 53,1%.

Com base dos dados do DETRAN - PA, o número de acidentes aumentou nos bairros em vermelho: Mangueirão, Marambaia, Castanheira, Pedreira, Marco, São Brás, Umarizal, Guamá, Reduto, Cidade Velha e Batista Campos, enquanto nos bairros em verde houve uma redução, a saber: Val-de-Cans, Sacramenta, Telégrafo, Souza, Nazaré, Cremação e Jurunas. A coleta de dados é uma dificuldade dos órgãos competentes, no qual a maioria dos bairros não possui registro, dificultando uma análise mais minuciosa.

Prancha 1. Mapas de vulnerabilidade de acidentes de trânsito em Belém 2007-2009.

*Autorizo a utilização e a reprodução dos mapas temáticos, desde que seja citada a referência. Organização: Luiz Henrique Almeida Gusmão (2013).

Figura 5. Zoom na principal área de vulnerabilidade aos acidentes de trânsito em Belém em 2009 pelo Philcarto.

Fonte: O autor (2013)

JUR - Jurunas; CON - Condor; GUA - Guamá; TER - Terra Firme; UNI - Universitário; CAN - Canudos; SBS - São Brás; CRE - Cremação; NAZ - Nazaré; CAM - Campina; RED - Reduto; UMA - Umarizal; FAT - Fátima; TEL - Telégrafo; MAR - Marco; CUR - Curió Utinga; SOU - Souza; PED - Pedreira; SAC - Sacramenta; MRG - Maracangalha; VAL - Val-de-cans; SOU - Souza; MAB - Marambaia; CAS - Castanheira; MAN - Mangueirão e PQV - Parque Verde.

Figura 6. Zoom na principal área de vulnerabilidade aos acidentes de trânsito em Belém em 2009 pelo Google Earth.

Fonte: Google Earth (2013)

Os mapas elaborados com o software Philcarto através do método isoplético buscou unir os pontos com valores próximos. Acima, os mapas revelam a vulnerabilidade de acidentes de trânsito, ou seja, a condição de risco que os motoristas se encontram. Os mapas de 2007, 2008 e 2009 nos revelam a alta e média vulnerabilidade de acidentes de trânsito no centro da cidade (Sul e Sudoeste de Belém), em bairros como Umarizal, Campina, Batista Campos, Cremação, Cidade Velha, Reduto, São Brás e Nazaré, devido a circulação de veículos ser mais intenso nessa área em decorrência da concentração dos mais diversos serviços, da melhor condição financeira de seus habitantes e ser o centro comercial, financeiro e noturno da cidade. 

Bairros próximos ao centro como Marco, Pedreira, Souza, Guamá, Telégrafo, Sacramenta e Jurunas, também são altamente vulneráveis a acidentes de trânsito. O Marco inclusive, se destaca como o primeiro em número de acidentes, por ter um tráfego intenso e "pesado" em suas avenidas, como a Almirante Barroso, a Duque de Caxias, a João Paulo II, a Dr. Freitas, entre outras transversais, pelas suas ruas darem acesso ao Centro da cidade. 

Bairros periféricos e distantes do centro como Mangueirão Parque Verde, também estão entre os principais "palcos" de acidentes, por serem atravessados pela Av. Augusto Montenegro e portanto, terem um tráfego intenso de ônibus, automóveis e motocicletas. O bairro do Castanheira, apesar de pequeno em extensão territorial, também tem alta vulnerabilidade a acidente, por ser local dos primeiros quilômetros da BR-316 próximo ao Entrocamento e ao Shopping Castanheira, principalmente depois do estreitamento das vias pelas obras do BRT Belém.

A ausência de informações pelo Sistema Integrado de Segurança Pública - SISP PA, pelo DETRAN e pela AMUB, dos outros bairros da cidade fez com que aparecessem com baixa vulnerabilidade à acidentes, no entanto sabemos que é comum tais fatos em Icoaraci e no Tapanã, por exemplo.


Figura 7. Acidentes de trânsito nas principais vias urbanas no município de Belém em 2007, 2008 e 2009.

Fonte: Sistema Integrado de Segurança Pública - SISP PA 2007, 2008 e 2009.

A partir da figura acima, percebemos que as vias com mais acidentes de trânsito são: Augusto Montenegro, Almirante Barroso, Pedro Álvares Cabral, Senador Lemos, Júlio César e Governador José Malcher, logo as mais movimentadas da cidade. Nesse sentido, foram editados algumas imagens do Google Earth dos principais cruzamentos que devemos ter uma atenção exacerbada.

Figura 8. Áreas de extrema atenção no trânsito em Belém

Fonte: Google Earth (2013)
Org. Luiz Henrique Almeida Gusmão (2013)

Na imagem acima destacamos a entrada/saída de Belém, a área 1: Complexo do Entroncamento e área 2: BR-316 próximo ao Shopping Castanheira.

Figura 9. Área de extrema atenção no trânsito em Belém

Fonte: Google Earth (2013)
Org. Luiz Henrique Almeida Gusmão (2013)

Na imagem acima destacamos o Complexo Viário Daniel Berg, no qual a Av. Pedro Álvares Cabral, Av. Senador Lemos e Av. Júlio César se entrelaçam.

Figura 10. Principais causas dos acidentes de trânsito registrados no município de Belém em 2009.

Fonte: Sistema Integrado de Segurança Pública - SISP PA 2009


4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Conclui-se que as principais vítimas no trânsito são os jovens (19-24 anos), sendo portanto, mais vulneráveis, em que os automóveis e as motocicletas têm sido os veículos mais envolvidos em acidentes. Em Belém, o número de feridos e de acidentes no trânsito vem aumentando ao longo dos anos, em que o centro da cidade concentra essas tragédias, principalmente o bairro do Umarizal, Campina, São Brás e Nazaré, assim como nos bairros mais próximos ao centro, como Marco, Pedreira, Sacramenta e Guamá, e aos mais distantes do centro como Castanheira, Mangueirão e Marambaia. As avenidas mais movimentadas da cidade, como a Almirante Barroso, Pedro Álvares Cabral e a Augusto Montenegro são as vias com maior número de acidentes e consequentemente mais propensas, resultado de manobras irregulares, falta de atenção, embriaguês alcoólica ao volante e desrespeito a preferencial. Clamo aos motoristas, mais paciência e responsabilidade no trânsito de Belém, enquanto aos órgãos competentes como o DETRAN, DNIT e AMUB, maior fiscalização, comprometimento na execução de obras e sinalização nas ruas, em respeito aos altos impostos pagos por todos nós.


5. REFERÊNCIAS

http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2012/mapa2012_transito.pdf. Acesso em 01/22/2013

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ. Relatório estatístico de trânsito no Estado do Pará e no município de Belém, período 2007 a 2009. Belém, 2010. Sistema Integrado de Segurança Pública - SISP PA.


Software [Google Earth]. Acesso em 30/10/2013.


Software [Philcarto]. Disponível em philcarto.free.fr.


Software [Phildigit]. Disponível em philcarto.free.fr


maps.google.com.br. Google Maps. Acesso em 28/10/2013.



7. CONTATO

luizhenrique.ufpa@yahoo.com (Email)

geocartografiadigital.blogspot.com (Blogger)